quinta-feira, 29 de setembro de 2016

O crescimento da industria farmacêutica e a abertura de vagas de empregos.

Ao mesmo tempo em que o desenvolvimento tecnológico e econômico ganha expansão entre as civilizações, ganha-se também o aumento de doenças crônicas acarretadas pelo mal do século: o sedentarismo. O sedentarismo é uma das doenças que trazem consigo males como o raciocínio lento, fígado gordo e circulação comprometida.

Outro grande mal do século é a depressão. Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo, e uma das alternativas de escape para a doença é a indústria farmacêutica. Pesquisas revelaram que aproximadamente 72% dos diagnósticos depressivos foram tratados com medicamentos orientados por profissionais da área.

A Indústria Farmacêutica é hoje a maior responsável pelos casos de recuperação no mundo. Dentre as profissões mais promissoras está ela, que promete a cura desde a gripe até o câncer. Porém o mercado tem sofrido por falta de profissionais qualificados, seja esta qualificação o ensino profissionalizante e técnico ou superior. Além dos farmacêuticos, uma das funções de grande importância é o Atendente, pois é a pessoa que tem maior contato com os consumidores, por isso deve:
  • Dar sugestões sobre os produtos destacando os mais vendidos.
  • Colocar o preço nos produtos correta e legivelmente, o qual não pode ser colocado em cima do lote ou do prazo de validade.
  • Controlar a entrada e a saída dos mesmos, assim como realizar a conferência, a reposição e arrumação das mercadorias.
  • Saber ler uma receita e atualizar-se sobre os lançamentos.
Todo profissional deve ter profissionalismo e seriedade, representando bem a empresa, pois essa, no nosso caso a farmácia, tem como objetivo o bom atendimento aos clientes e caso isso ocorra, trará bons retornos para ambos.

Segundo a FEBRAPAR, as farmácias e drogarias são o principal canal de dispensação de remédios para a população. O Brasil é o 4º mercado de consumo de medicamentos no mundo, segundo o instituto IMS Health. De acordo com o IMS Health, que audita o mercado farmacêutico mundial, o Brasil é o País com o maior número de farmácias do mundo, com uma proporção de 3,34 farmácias para cada 10 mil habitantes, considerando uma população de 190* milhões de habitantes (*já chegamos a 201 milhões).

A expansão das redes de farmácias e drogarias ocorreu na década de 80, a partir da informatização dos estoques dos pontos-de-venda e da diminuição no número médio de funcionários por loja.

Entre você também para o setor farmacêutico. Profissionalize-se!