quarta-feira, 14 de setembro de 2016

3 motivos para você não mentir sobre o seu currículo!

Se você está conectado a Internet diariamente, já deve ter lido algo sobre o caso Bel Pesce, conhecida também como a Menina do Vale. Se ainda não está atualizado sobre o que acontece,ao que tudo indica: Ela mentiu sobre o seu currículo.

Mas não foi apenas a Bel Pesce que cometeu esse erro. Existem vários casos semelhantes:

-Ronald Zarella: O CEO da Bausch & Lomb disse que fez um MBA na Escola de Negócios Stern em Nova York (Estados Unidos). Ele porém, apenas chegou a cursar alguns anos, mas não se graduou efetivamente. Os antigos empregadores nunca checaram, mas sua mentira foi descoberta pela multinacional e perdeu US$ 1,1 milhão em bônus na companhia. Apesar de tudo, permaneceu no cargo, pois a empresa achava que ele era muito importante para o desenvolvimento do negócio.

Apesar de mentir, Ronald Zarella continuou com o seu cargo, mas nem todos tem o mesmo final feliz.

Patrick Imbardelli: O principal executivo do InterContinental Hotels Group mentiu ao dizer que possuía um diploma de bacharelado em negócios na Universidade de Victoria, na Austrália. Ao ter sua mentira revelada, ele largou a companhia após dois meses em período de experiência.

Em maio deste ano, o CEO do Yahoo, Scott Thompson pediu demissão após a descoberta de informações falsas em seu currículo. Thompson informava que tinha duas graduações, uma em Ciências da Computação e outra em Contabilidade.Contudo, após investigações, foi descoberto que o curso de Ciências da Computação que teria alegado concluir, havia sido criado alguns anos depois da data indicada.

Apesar de vivermos em um país que sempre dá “um jeitinho”, na hora de escrever um currículo, vale mais seguir o conselho das nossas mães: A mentira tem perna curta! Por isso, aqui vão os 3 motivos:


Você pode ser descoberto


Suponha que você destacou-se entre todos os outros concorrentes e foi contratado. No entanto, seu recrutador acreditou que você realmente possuía o curso de Excel avançado citado no currículo. No seu primeiro dia no emprego seu coordenador solicita a análise e revisão de uma planilha que, para tanto, necessita de profundo conhecimento na área.

É nesse momento que você se dá conta que está em maus lençóis uma vez que, além de não ter conhecimento para o trabalho solicitado, deixa evidente ao recrutador sua farsa. 

"O conselho é: Mesmo que seu currículo seja enxuto, sem muitas experiências ou cursos profissionalizantes, tentar ludibriar os recrutadores jamais será a solução."

Você pode ser demitido por justa causa


Imagine perder o seu direito a aviso prévio, férias proporcionais, seguro-desemprego e a impossibilidade de saque do FGTS, por causa de uma mentira? É isso que acontece com quem é descoberto.

De acordo com a Convenção Consolidação das Leis do Trabalho, quando o funcionário furta algo da empresa, seja informações, dados pessoais, utensílios de escritório, produtos etc, ele poderá ser demitido com justa causo por ato de Improbidade (art. 482, alínea a). Ninguém quer se demitido por justa causa!

Você pode manchar o seu currículo

Na crise que estamos vivendo hoje, ninguém quer ou pode ficar desempregado por muito tempo. Ao ser demitido por ser descoberto, seja por justa causa ou não, isso poderá afetar negativamente a sua próxima admissão.

Basta uma simples ligação para conferir a sua experiência e receber uma resposta negativa sobre a sua conduta no trabalho anterior.

E se foi indicado através de uma empresa de recrutamento e seleção, as coisas podem ficar ainda mais difíceis para você. Porque o seu antigo empregador pode muito bem te delatar. E essa empresa pode pensar 2 vezes na próxima vez que precisar de um profissional com o seu perfil.

É claro que há outros motivos para não mentir, ética e bom senso são um deles. Pense bem antes de mentir!

Agora que aprendeu essas dicas, cadastre-se para a vaga de seus sonhos e aproveite o sucesso!


(Fonte: Ana Paula Resstel / Linked-In)