quinta-feira, 4 de agosto de 2016

O futuro do Franchising no Brasil

O mercado brasileiro de franquias já fatura mais de R$127 bilhões ao ano, conta com 3.000 redes e tem cerca de 125.000 unidades franqueadas espalhadas por todo país. É também um dos principais empregadores nacionais e ainda reúne algumas das marcas mais conhecidas e queridas pelos consumidores.

Por tudo isso, vale a pena acompanhar de perto cada movimento desse setor. Entender para onde caminha o Franchising é compreender também quais são as oportunidades e os desafios enfrentados atualmente pelo varejo nacional e por algumas das principais lideranças empresariais do país. Que preocupações têm hoje esses empreendedores? Quais mudanças eles vislumbram para o futuro? Como estão se preparando para os próximos movimentos do mercado?

Para fazer um balanço sobre a atuação das empresas franqueadoras e projetar o futuro desse setor, foi realizada uma entrevista com Marcelo Cherto, um dos maiores especialistas em franquias do Brasil. Na conversa a seguir, Cherto narra a história do Franchising, analisa as principais tendências do mercado e dá pistas sobre quais caminhos o setor deve percorrer nos próximos anos.

PERGUNTA: QUAIS FORAM AS PRINCIPAIS FASES QUE AS EMPRESAS FRANQUEADORAS BRASILEIRAS JÁ ATRAVESSARAM E QUE MUDANÇAS SOFRERAM NOS ÚLTIMOS ANOS?

RESPOSTA: As primeiras franqueadoras se instalaram no Brasil na década de 1950, mas o Franchising nacional realmente ganhou fôlego a partir dos anos 80. Nessa época, o Plano Cruzado e uma série de medidas econômicas desastrosas colocaram o país em uma grande crise. Muitas pessoas ficaram desempregadas e passaram a ver o empreendedorismo como uma alternativa. Porém, esses profissionais não tinham qualquer experiência empresarial e precisavam de apoio para gerir os negócios. A franquia, então, se tornou a saída para crise.

Depois de ser descoberto pelos brasileiros e virar moda, o Franchising passou por uma fase de profissionalização. Nos anos 90, muitos executivos foram demitidos de grandes empresas e encontraram nas franquias uma nova opção de carreira. Com sua bagagem profissional, eles forçaram as empresas franqueadoras a aprimorar vários aspectos de sua gestão – o que foi muito positivo para o setor. Nessa época, o mercado passou a ter grandes marcas. E, no momento seguinte, elas buscaram a expansão dos negócios. Nos anos 2000, muitas franqueadoras passaram a ter efetivamente uma atuação nacional.

PERGUNTA: ESSA FASE DE EXPANSÃO CONTINUA? QUAL É O ATUAL MOMENTO DO FRANCHISING NACIONAL?

RESPOSTA: Ocupar novos mercados continua sendo um desafio importante para as redes de franquias. Porém, nos últimos anos, o foco das empresas deixou de ser a expansão e passou a ser a produtividade. As franqueadoras estão cada vez mais preocupadas em melhorar o desempenho de cada uma das suas unidades. Auxiliar o franqueado a aprimorar a gestão financeira do seu negócio se tornou essencial para que as empresas se tornem mais competitivas. Por isso, redes que fornecem esse tipo de apoio têm se destacado e atraído o interesse de novos investidores. Afinal, quem pensa em investir em uma franquia sempre dará preferência às empresas que oferecerem um suporte mais qualificado a seus parceiros.

PERGUNTA: CLARAMENTE, AS EMPRESAS FRANQUEADORAS EVOLUÍRAM MUITO NESSES 30 ANOS. E OS FRANQUEADOS, CONSEGUIRAM ACOMPANHAR ESSAS MUDANÇAS?

RESPOSTA: Os franqueados também evoluíram muito. São muito mais preparados do que eram no passado. E hoje já existe um perfil muito interessante no mercado: o chamado “multifranqueado”. Trata-se de um empresário que possui duas ou mais franquias, que podem ser da mesma marca ou de diferentes redes. Muitos já têm dezenas de lojas. Eles trazem ao sistema uma visão interessante, pois conseguem analisar as empresas “por dentro” e são capazes de comparar a gestão e o suporte oferecidos por diferentes redes.

PERGUNTA: QUE TIPO DE IMPACTO OS MULTIFRANQUEADOS PODEM CAUSAR AO SISTEMA?

RESPOSTA: Como têm grande poder de barganha, os multifranqueados podem exigir que os franqueadores adotem as melhores práticas do mercado e tornem seus negócios cada vez mais lucrativos. Isso é muito bom. É algo que obriga os franqueadores a repensar constantemente seus modelos de negócio, encontrando novas formas de tornar as franquias mais rentáveis.

PERGUNTA: QUAIS SÃO AS NOVAS SOLUÇÕES QUE OS FRANQUEADORES TÊM ENCONTRADO PARA MELHORAR A LUCRATIVIDADE DAS FRANQUIAS?

RESPOSTA: Aprimorar a gestão financeira de cada franquia é, como eu disse, a principal estratégia para tornar uma rede mais competitiva. Mas não é a única. Muitas redes têm criado novos formatos de loja – quiosques e unidades móveis, como os food trucks, são alguns exemplos. Outra estratégia é adaptar o modelo de negócio para que ele possa funcionar em pontos de vendas não convencionais (como hospitais, galerias, postos de gasolina, entre outros). Tudo isso ajuda a baixar custos de ocupação e pode dar mais rentabilidade às franquias.




(Fonte: Franchise Store)