segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Transformar vidas por meio da educação profissionalizante inspira franqueador Alex Cavalheiro, do Instituto Mix de Profissões

São Paulo, 27 de outubro de 2014 – Quando Alex Cavalheiro,  de 38 anos, afirma que criou o Instituto Mix de Profissões porque acredita que a educação profissionalizante pode mudar a vida de uma pessoa, este não é apenas um discurso teórico, mas sim uma convicção baseada em sua própria experiência de vida.

Cavalheiro morou nos Estados Unidos entre os 17 e os 26 anos e não fez faculdade. “Lá, estudei inglês e fiz cursos rápidos e específicos. Trabalhei na área de tecnologia, de prestação de serviços, fui jardineiro, entregador de pizza e motorista”, lembra.

Durante a década em que morou no exterior, percebeu sua forte vocação empreendedora, que o fazia enxergar oportunidades onde aparentemente não havia. Foi assim que teve a ideia de oferecer-se como motorista para brasileiros que chegavam a Nova York, no Aeroporto Internacional JFK, e precisavam ir a Boston – cidade que fica cerca de 400 km dali, e que tradicionalmente recebe muitos brasileiros. “Ganhei muito dinheiro, mas o plano sempre foi voltar para o Brasil, para poder ficar perto da família que, acredito, é a base de tudo”, revela.

Quando retornou, Cavalheiro escolheu investir na área da educação. “É um bom negócio, que dá lucro e proporciona qualidade de vida – pois não exige tanto tempo quanto o ramo alimentício, por exemplo. Além disso, a educação propicia que as pessoas mudem de vida, conquistem suas próprias vitórias, alcancem suas metas pelo próprio esforço”, afirma, com a alegria de quem pode, hoje, oferecer a mesma oportunidade que um dia teve na vida a milhares de pessoas.

Ele optou por aderir ao sistema de franquias, que oferecia a segurança e a viabilidade de um modelo já testado pelo franqueador. Foi franqueado de três redes – uma escola de idiomas e duas voltadas ao ensino profissionalizante. Como franqueado, viu de perto o que cada negócio oferecia e o que poderia ser melhorado – não apenas para atender melhor ao franqueado, como também para conquistar mais alunos e aumentar a lucratividade do franqueador. “A preocupação não pode ser vender apostilas. O aluno tem que ser o foco principal de uma franquia de educação. Por isso, é preciso estar sempre atento ao mercado e às tendências, ouvindo os alunos e pesquisando. O franqueador da área de educação nunca pode se acomodar”, acredita.

Usando a experiência que adquiriu como franqueado, Cavalheiro criou sua própria escola de educação profissionalizante. Hoje, o Instituto Mix de Profissões oferece mais de 50 diferentes cursos profissionalizantes, em seis áreas: Beleza, Administração, Idiomas, Tecnologia, Construção Civil e Saúde. São 185 escolas – incluindo unidades próprias do franqueado, onde são testados novos cursos e modelos – onde estudam mais de 70 mil alunos.

“O diferencial de nosso negócio é ter um aluno satisfeito. Nosso ‘produto final’ é o aluno formado, preparado e aceito no mercado de trabalho. Não é à toa que, hoje, nossa primeira forma de divulgação é a indicação de amigo e, a segunda, a atualização e a renovação de matrícula de antigos alunos. Isso mostra a eficiência de nossa metodologia e também que a venda de nossos cursos é apenas um meio, não um fim em si”, afirma. 

Trabalhar para ter sucesso – Para Cavalheiro, o esforço é uma filosofia de vida por meio da qual se atinge o sucesso. “Quanto mais clientes eu abordar, maior a chance de conquistar um deles. Força de vontade para trabalhar é algo que ninguém pode tirar de uma pessoa. Se essa força de vontade estiver aliada à estratégia e a treinamento, os bons resultados virão”, acredita. Por isso, como franqueador do Instituto Mix, ele foca sua  atenção na gestão da operação e dos processos e na implantação de estratégias de atualização de seus produtos. Um exemplo disso são as constantes pesquisas bimestrais realizadas junto aos alunos, que medem a satisfação deles e avaliam tendências para oferecer, sempre, opções alinhadas às demandas reais de mercado.

Casado e com três filhos – uma menina e dois meninos –, Cavalheiro mora em Araranguá (SC), de onde não pretende sair. “Toda minha família mora perto daqui. A cidade é pequena e me permite ir rapidamente de casa para o trabalho. Aqui, também, moro perto do mar. Como adoro esportes náuticos – especialmente Jet Sky – valorizo isso. Além disso, com a tecnologia disponível hoje, não é preciso estar em um grande centro para fazer bons negócios”, pondera.

Apesar da atividade como franqueador consumir bastante tempo e energia de Cavalheiro, ele ainda mantém seis unidades próprias do Instituto Mix de Profissões, nas cidades catarinenses de Florianópolis, Tubarão, Lages, Araranguá, Sombrio e Turvo. É nessas unidades que ele testa projetos-piloto, novos cursos, estratégias e ferramentas para, depois, disponibilizar para toda a rede. “É como um laboratório, um tubo de ensaio. Se der certo, implanto em toda a rede. Mas não posso fazer testes em negócios de franqueados, que, muitas vezes, investiram as economias de uma vida em um negócio. O franqueado precisa ter a segurança de implantar apenas o que dá certo”, considera.

E, para ter sucesso no Instituto Mix, o próprio Cavalheiro buscou atualização. Fez cursos, pesquisou, e investiu no desenvolvimento de ferramentas de gestão próprias. “Nunca copiei nada do que vi em outros lugares. Eu me concentro em melhorar os processos, pesquisar o que há de melhor no mercado e desenvolver antes dos meus concorrentes”.   

Com essa filosofia, o Instituto Mix – que, em 2010 tinha 15 escolas e atendia a 6 mil alunos – hoje conta com 185 unidades e deve fechar 2014 com 200.  Para sustentar esses resultados, Cavalheiro acredita no respeito ao ser humano como um valor fundamental. “Só é possível crescer se todos tiverem os mesmos princípios e valores e se contratarmos as pessoas de perfil adequado para cada função”, diz.

É assim que, em cinco anos, ele espera ter 400 franquias do Instituto Mix e atender 200 mil alunos em todo o território nacional, dobrando o faturamento atual mensal da rede. Quem duvida que ele atingirá este objetivo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário